Arrepio Produções
iTSITES Tecnologia
FacebookTwitterYouTube

Entrevistas

Funeratus: Um dos grandes do Death Metal nacional

23 de outubro de 2018

Fundada em 1993, na cidade de Mococa, interior de São Paulo; a Funeratus é hoje, um dos grandes do death metal Nacional. Seu mais recente disco Accept the Death (2018),é destaque em vários veículos da mídia especializada e tem sido muito elogiado pelos fans de metal extremo. Acompanhe abaixo uma entrevista, onde os músicos respondem algumas perguntas bem interessantes.

1 - Fundada em 1993,são 25 anos de luta no underground Nacional,nos fale do início das atividades?

O Fernando e eu somos amigos de infância e montamos o Funeratus em 1993,influenciados por bandas como Metal Church, Venom, Motorhead, Slayer,Destruction, Kreator, Morbid Angel, Deicide, tocamos sem baterista por algum
tempo até que o irmão do Fernando (Flávio) completou o trio e foi onde tudo começou.
Gravamos a demo “The Baptism” em 1996 com Rodrigo na bateria, em 1999 nós gravamos “Upcoming Apparition” que saiu como split Cd com o Descerebration pela Millenium rec.
Logo após as gravações do Upcoming Apparition,Rodrigo saiu do Funeratus,em 2001 participamos da coletânea “Brazilian Mayhemic Legions” com as principais bandas Extremas do país. Assinamos com a Mutilation rec. e gravamos o CD “Storm of Vengeance” com dois bateristas emprestados (Ronaldo – Ancestral Malediction e Bruno – Horned God), quando o Cd saiu, já estávamos na estrada divulgando nosso trabalho com nosso baterista oficial,
Gustavo Reis.Com essa formação gravamos o CD “Echoes in Eternity” em 2004, o EP “Vision from Hell” em 2009 e agora em 2018 “Accept the Death” .

2 - Em 25 anos de atividade, nos fale das maiores dificuldades de manter uma banda na ativa durante tanto tempo?

Essa pergunta é incrível, porque são tantas dificuldades que poderia falar o dia todo sobre isso.Com o passar do tempo as dificuldades mudam; no início a gente não tinha formação fixa, não tinha lugar para ensaiar, não tinha instrumentos, não tinha apoio nem dinheiro, só vontade de tocar mesmo, hoje nós conseguimos superar essas dificuldades e temos muitas outras, o tempo para trabalhar com a banda é a maior de todas pois temos família e trabalho que necessitam de nossa atenção,lutamos pra colocar o Funeratus num patamar profissional e viver totalmente dedicados à banda, porque depois de 25 anos a nossa vontade de tocar é ainda maior.

3 - O Funeratus já tocou com bandas como Morbid Angel,Incantation,Krisiun, Monstrosity. Como estão os shows do disco novo ,há alguma turnê Sul Americana nos planos?

Realmente, já tivemos a oportunidade de tocar em vários lugares e com grandes bandas, fizemos grandes amigos por todo lugar onde passamos, aprendemos muito com bandas mais experientes, com pessoas e costumes diferentes dos nossos, isso nos fez muito bem e nos ajudou a evoluir nossa música e também como pessoas,temos muita saudade desses amigos e pretendemos tocar muito, onde for possível,espero rever nossos amigos e fazer novas amizades como sempre.
See you on the Road Brother of Metal !!!!

4 - Ainda falando do disco novo,em relação a produção,que ficou extremamente polida e agressiva,porque não buscaram um produtor Brasileiro?

Tudo começo em 2009, quando gravamos o EP “Vision from Hell”.Nossos parceiros de sempre até aquele momento eram o Ciero e o Tchelo Martins,que gravaram todos os nossos discos no Da Tribo Studio, mas eles não estavam
disponíveis naquele momento então resolvemos fazer uma experiência de produzir sozinhos o novo disco, o resultado foi terrível. (risos).Começamos gravando 3 músicas com o Joca Street aqui em nossa cidade (Mococa-SP) ele é um grande amigo músico da nossa adolescência, as músicas foram “Indian Healing” Vision From Hell” e “Attack”, essa experiência gerou um EP que foi lançado somente na Suécia pela Blood Harvest, isso nos animou e decidimos gravar o disco todo, mas em outro estúdio, gravamos e perdemos tudo!(kkkk) Valeu como experiência, então começamos tudo de novo, só que decidimos fazer com os melhores. Gravamos as baterias no Sete Studio e o restante com o Joca novamente, ele foi ótimo, capturamos tudo e enviamos para o melhor em nossa opinião, Andy Classen, na Alemanha, foi ele quem deu o tempero final, mas a produção foi feita em várias etapas, envolvendo vários profissionais, por isso demoramos todo esse tempo, não tínhamos nenhuma gravadora, nenhum selo ajudando, fizemos tudo com o dinheiro da banda, com shows e merchandising.Sinto que conseguimos. O disco ficou como queríamos, tem a nossa cara em todos os aspectos, curto demais esse disco, escuto e fico feliz.

5 - O Metal extremo tem crescido muito nos últimos anos,qual a contribuição da banda para o metal nacional (em termos musicais)?

Não acho que somos inovadores ou criadores de algum segmento dentro do estilo, mas acho que somos 100% originais, temos um estilo único dentro do Death Metal,não seguimos uma linha pré estipulada, usamos o nosso estilo pessoal e não vejo ninguém fazendo nada parecido, nossas influências old school somadas ao estilo moderno do Gustavo, tudo isso com muito ódio e tesão em tocar Death Metal

6 - O que podemos esperar para os próximos discos em termos de sonoridade. Vocês vão manter o estilo ou pretendem acrescentar alguma novidade?

Tudo pode acontecer, não faremos nada que fuja das características do Metal verdadeiro, gostamos da tradição do estilo sem muitas misturas, somente riffs de guitarra, pegadas fortes, Death Metal com nossa essência como sempre foram as
músicas do Funeratus .

7 - Notei que a banda possui uma Assessoria de Imprensa,nos fale da importância deste suporte para a divulgação da banda?

Cada profissional na sua área, aprendemos a deixar cada assunto da banda nas mãos de profissionais qualificados, inclusive a assessoria de imprensa que cuida exclusivamente da relação da banda com a imprensa, eles sabem o que fazer e como fazer o que não cabe a nós pois temos muitos afazeres inclusive tocar muito,fazer músicas, shows etc.

8 - Vocês recomendariam uma Assessoria para bandas em início de carreira ou essa plataforma deve ser contratada apenas quando a banda já gravou um álbum completo?

Na minha opinião a banda deve contratar uma assessoria somente quando estiver com material profissional suficiente para trabalhar seriamente, pois a assessoria só administra o material que a banda produz, então se abanda está começando,
recomendo que espere até conquistar um nível de profissionalismo que seja necessário contratar o profissional certo.

9 - Quais os planos da Funeratus para 2019,algum clipe avista?

Os planos são de tocar o máximo possível, fazer shows, fazer um disco novo, talvez a primeira tour pela Europa, um clipe seria legal também.

10 - Obrigado pela entrevista. Pode deixar um recado aos fans de música extrema?

Eu é quem agradeço a oportunidade, é muito importante esse trabalho que vc faz abrindo espaço para as bandas mostrarem seus trabalhos, suas propostas, seus ideais, etc. isso é ótimo para todos que querem conhecer melhor as bandas do cenário.
Aos adoradores de Metal como eu, digo que devemos continuar lutando pelo estilo que atropela todas as modas que vem e se vão, tudo tem seus pontos altos e baixos, só precisamos sobreviver pois somos fortes e vejo o death Metal mais forte do que nunca. Hail brothers, together we are strong !!!
 
 
Links Relacionados:
 

Fim da Entrevista

Compartilhe

 

Outras Entrevistas

Murder Worship
© 2009-2018 - Arrepio Produções - Patos de Minas - MG
FacebookTwitterFeed RSSE-mailYouTube